Então compreendi

Image

Então compreendi

“Então compreendi perfeitamente o que gerava a dor. Não era o corte com a ponta da faca, a topada na quina da cama, o amigo que não liga mais, o café que sujou o fogão, as palavras duras, as notícias na tv, obviamente isso soma-se ao fardo, mas não é ele em si. A dor era gerada pela sede insaciável do nada. Pois quando não se tinha o que queria sofria e quando conseguia almejava outra coisa para sofrer. E é por essa sede que os humanos consomem seus dias, pelos futuros que nunca virão ou que serão fadados quando chegarem. E a maior idiotice era perceber: eu também era um desses tais que nunca estava de barriga cheia.”
(( Fernando Pessoa. ))

E às vezes

Image

E às vezes

“E às vezes no silêncio do meu dia, no momento mais conturbado da minha alma, paro pra pensar em quando tudo isso começou. Eu sei, todos nós desperdiçamos oportunidades, chances, pessoas, amores… Mas de alguma forma, quando eu te conheci, eu sabia que seria você. Talvez tenha demorado pra perceber, mas o fato foi que percebi e naquele momento eu tive a certeza de que não podia te perder. Eu temia que fosse amor. Mas, de repente me senti tomada por algo mais forte que eu e de alguma forma você teria que ser meu.”
(( Tati Bernardi))

Não conheço uma pessoa

Image

Não conheço uma pessoa

“Não conheço uma pessoa que não goste de acordar com um bilhete, um carinho, um café na cama, um beijo, um abraço, um telefonema “dormiu bem?”, um sorriso, um chamego. Não conheço uma única alma que nunca pensou em ter alguém para ligar no meio da tarde só para dizer que estava com saudade. Aposto que você, você que diz não ser romântico, se emociona quando vê uma cena de amor no cinema. Sei que você gosta que te façam mimo quando você adoece. Sei que você gosta de ouvir como é importante para alguém. Sei que você gosta de florzinhas na mesa na hora do jantar, sei que você gosta de dançar coladinho, sei que você fica feliz ao receber um CD gravado com músicas exclusivas. Músicas exclusivas que alguém exclusivo gravou para você simplesmente pelo fato de você ser exclusivo.”
((Clarissa Corrêa.))

Todas as vezes que tentei disfarçar afetos

Image

Todas as vezes que tentei disfarçar afetos

Todas as vezes que tentei disfarçar afetos, camuflar dores e fingir sentimentos, numa tentativa de me “fazer de forte”, perdi oportunidades, momentos que poderiam ser inesquecíveis e quem sabe, até amores. Todas as vezes que tentei não ser eu, num ato de autodefesa, com atitudes que não eram minhas, mais perdi do que ganhei, e, só fui ter noção dessa depreciação psíquica, quando percebi que essas atitudes não mudavam nenhum quadro da minha vida, só agravavam meus quesitos confusos, porém, houve um dia em que me vesti de maturidade, me calcei de coragem e me despi de medos, desde então, passei a viver melhor, a me sentir realmente forte e a me amar de verdade. Hoje tenho certeza que forte é aquele que se encoraja em seus afetos, assume suas dores e não nega seus sentimentos.

(( Keila Sacavem))

Não entendo por qual motivo .

Image

Não entendo por qual motivo .

“Não entendo por qual motivo carrego tantas culpas. Às vezes meus passos parecem pesados, bem como minhas costas. Sinto que levo comigo pesos imensos que me trazem medos intensos. Só que agora não dá mais para continuar assim, rastejando pelo chão de cansaço e fraqueza. Quero me despir, me livrar do que já não cabe, do que não presta, do que não me faz feliz. Quero conseguir viver em paz de novo, me sentir livre, leve e serena outra vez.”
((Clarissa Corrêa))

Cansei de me sentir sozinha

Image

Cansei de me sentir sozinha

“Cansei de me sentir sozinha. Cansei de tanta mentira. Cansei dos dias iguais, da rotina. Cansei de mim e de me deixar sempre em última opção. Cansei de procurar meus amigos. Cansei de mentir pra mim, pra ver se dói menos. Cansei de me preocupar com quem não se preocupa comigo. Cansei de sofrer e de acordar indisposta. Cansei de sentir o coração bater mais forte, com uma sensação de arrependimento, de erro. Cansei de tudo.”
(( Clarice Lispector.))

Resta, acima de tudo

Image

Resta, acima de tudo

“Resta, acima de tudo, essa capacidade de ternura… Essa intimidade perfeita com o silêncio… Resta esse sentimento de infância subitamente desentranhado de pequenos absurdos, essa capacidade de rir à toa. Resta essa distração, essa disponibilidade, essa vagueza de quem sabe que tudo já foi como será no vir-a-ser. Resta essa faculdade incoercível de sonhar, de transfigurar a realidade, dentro dessa incapacidade de aceitá-la tal como é, (…) e essa pequenina luz indecifrável a que às vezes os poetas dão o nome de esperança. Resta esse constante esforço para caminhar dentro do labirinto, esse eterno levantar-se depois de cada queda, essa busca de equilíbrio no fio da navalha, essa terrível coragem diante do grande medo, e esse medo infantil de ter pequenas coragens.”
((Vinicius de Moraes))